• Marque os amigos
    Marque os amigos
    29
    0 Comentários 8 Compartilhamentos
  • 10
    1 Comentários 2 Compartilhamentos
  • 9
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • 5
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • 2
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • 14
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • 9
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • 40
    0 Comentários 1 Compartilhamentos
  • PREPARE-SE PARA A TAREFA, QUE A AJUDA NÃO FALTARÁ
    “E, quando vos entregarem, não cuideis em como ou o que haveis de falar, porque, naquela hora, vos será concedido o que haveis de dizer” (Mt 10:19).
    Quando nos incumbimos de uma tarefa, temos a obrigação de nos prepararmos para ela, mas podemos também contar com a ajuda “de cima”. Diz o ditado: “ajuda-te que o céu te ajudará” e “Deus ajuda quem trabalha”. Se confiarmos na inspiração divina, sem primeiro prover a nossa transpiração, certamente ela não virá. Por outro lado, não faltará se nossa parte estiver feita. Quem ocupa um púlpito para divulgar a palavra de Deus sabe bem do que falo. Prepara-se para falar, e, na hora, aparecem coisas novas, novas analogias para explicar, como se fossem vindas do nada, para nos inspirar, para dar mais brilho e clareza às palavras. Porém, se não nos prepararmos, a palavra poderá faltar. Quando nos sentamos para escrever, pensamos em seguir um rumo e, quando vemos, surge como que um texto pronto direto em nossa mente. É o acréscimo, que acrescenta valor ao texto, mas que só surge se a nossa parte estiver previamente feita. Em outras atividades vemos, igualmente, esta situação. Pablo Picasso, um dos maiores artistas da humanidade dizia: “toda a vez que a sorte me procurou, me encontrou trabalhando”. Isto significa que a sorte não é uma obra do acaso, mas a ajuda divina que sempre vem, e com a qual não devemos contar, negligenciando nossa tarefa. Deixar a nossa responsabilidade de lado e contar só com esta ajuda faz com que ela possa faltar.
    Do livro “A Filosofia na Bíblia”
    Publicado na página Tudo vem de Deus
    Curta nossa Página no Facebook: www.facebook.com/diantedavida
    Visite nosso Blog: www.diantedavidalivro.blogspot.com.br
    Participe do nosso Grupo: www.facebook.com/groups/diantedavida
    Junte-se à nossa Comunidade: https://plus.google.com/u/0/communities/103673859023828350714
    PREPARE-SE PARA A TAREFA, QUE A AJUDA NÃO FALTARÁ “E, quando vos entregarem, não cuideis em como ou o que haveis de falar, porque, naquela hora, vos será concedido o que haveis de dizer” (Mt 10:19). Quando nos incumbimos de uma tarefa, temos a obrigação de nos prepararmos para ela, mas podemos também contar com a ajuda “de cima”. Diz o ditado: “ajuda-te que o céu te ajudará” e “Deus ajuda quem trabalha”. Se confiarmos na inspiração divina, sem primeiro prover a nossa transpiração, certamente ela não virá. Por outro lado, não faltará se nossa parte estiver feita. Quem ocupa um púlpito para divulgar a palavra de Deus sabe bem do que falo. Prepara-se para falar, e, na hora, aparecem coisas novas, novas analogias para explicar, como se fossem vindas do nada, para nos inspirar, para dar mais brilho e clareza às palavras. Porém, se não nos prepararmos, a palavra poderá faltar. Quando nos sentamos para escrever, pensamos em seguir um rumo e, quando vemos, surge como que um texto pronto direto em nossa mente. É o acréscimo, que acrescenta valor ao texto, mas que só surge se a nossa parte estiver previamente feita. Em outras atividades vemos, igualmente, esta situação. Pablo Picasso, um dos maiores artistas da humanidade dizia: “toda a vez que a sorte me procurou, me encontrou trabalhando”. Isto significa que a sorte não é uma obra do acaso, mas a ajuda divina que sempre vem, e com a qual não devemos contar, negligenciando nossa tarefa. Deixar a nossa responsabilidade de lado e contar só com esta ajuda faz com que ela possa faltar. Do livro “A Filosofia na Bíblia” Publicado na página Tudo vem de Deus Curta nossa Página no Facebook: www.facebook.com/diantedavida Visite nosso Blog: www.diantedavidalivro.blogspot.com.br Participe do nosso Grupo: www.facebook.com/groups/diantedavida Junte-se à nossa Comunidade: https://plus.google.com/u/0/communities/103673859023828350714
    8
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • A LIBERDADE E A RESPONSABILIDADE, A CONSCIÊNCIA E O INSTINTO
    “O Espírito dorme no mineral, sonha no vegetal, agita-se no animal e desperta no homem” – Léon Denis
    O mineral tem grau de liberdade zero, assim como não tem responsabilidade ou consciência. Apresenta padrões de cristalização que lhe são característicos, meramente submetendo-se às leis da física, esquenta ou esfria, conforme o ambiente, nada consumindo ou produzindo. É um estágio inicial, primitivo da matéria. No vegetal já há o princípio vital. Além das leis da física, aplicam-se as leis biológicas. As plantas interagem com a natureza, mas o automatismo faz com que consuma e produza de acordo com o programado. Interage com o ambiente, há atividade, mas o grau de liberdade é virtualmente nulo.
    No animal, aumenta a atividade. O automatismo é substituído pelo instinto. Seus atos obedecem a diretrizes, mas começa a surgir a escolha, ainda que sem consciência. Isto ocorre de acordo com o grau de desenvolvimento das espécies, aumentando com ela. Nos animais domésticos identificamos, inclusive, afetos, claras escolhas, ainda que com pequeno grau de liberdade e, consequentemente, de responsabilidade.
    Minerais, vegetais e animais são regidos pelas leis naturais de Deus, e não possuem livre arbítrio, embora este aflore incipiente, rudimentar e limitado, nas espécies superiores. A espécie humana é o ápice da criação na Terra, diferenciando-se dos demais, não apenas pela complexidade do raciocínio e a presença do pensamento imaterial, mas pela consciência de si mesmo. Adquiriu, pela evolução, um grau de liberdade superior aos demais seres do planeta. Apesar de ainda possuir instintos (de preservação da espécie e do indivíduo, para exemplificar), que o fazem buscar a proteção, sobrevivência e reprodução, entre outras características, estes instintos já são submetidos à vontade.
    Há quem julgue os animais como mais evoluídos, ou “melhores” do que os humanos, por não cometerem erros que cometemos. Discordamos desta opinião, porque os animais, não tendo consciência ou liberdade como nós, estão isentos de méritos ou culpas. Suas atitudes foram determinadas pela superior inteligência do criador que anos, ao contrário, concedeu o poder de decisão e, com ele, os méritos e responsabilidades que dela decorrem. Seria como parabenizar ou culpar ao maquinista do trem por acertar o trajeto, sendo que este foi determinado pelos trilhos, sem que ele tivesse escolhas.
    Assim, superada a barreira da consciência, do livre arbítrio e da vontade, o homem começa uma nova etapa evolutiva, distinta das anteriores, tornando-se sujeito a erros pelos quais antes não era responsável. É natural, assim, que erre, como é natural a queda, por vezes seguidas, tal como a criança que ensaia seus primeiros passos.
    A humanidade erra, por seu baixo estágio evolutivo, assim como erra ao se cobrar demais. O processo evolutivo não dá saltos. O erro é natural e, a partir do erro, dá-se a evolução, esta sim, ocorrendo de forma diversa conforme as escolhas que fizermos. Não se espera dr nós a perfeição, mas que, diante do erro, o reconheçamos, e com ele aprendamos a agir melhor. Este é o processo natural da evolução, tanto nas áreas tecnológicas quanto nas humanísticas e éticas. Nestas últimas, em especial, temos alguns entraves à evolução. Nosso pensamento no curto prazo, nosso individualismo, nosso orgulho e a falta de percebermos a vida em como um processo, nos retardam. A evolução da humanidade é coletiva, e só progrediremos quando o mais atrasado avançar. Pensar só em si é perder a perspectiva de que cada irmão infeliz e miserável que nos cerca retrata a nossa incapacidade como ser humano. Seguir as regras e auxiliar o semelhante equivale ao “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo” que Jesus nos ensinou, já faz 2000 anos.
    Trecho do livro “Simplificando sua vida”.
    Publicado na página Tudo vem de Deus
    Curta nossa Página no Facebook: www.facebook.com/diantedavida
    Visite nosso Blog: www.diantedavidalivro.blogspot.com.br
    Participe do nosso Grupo: www.facebook.com/groups/diantedavida
    Junte-se à nossa Comunidade: https://plus.google.com/u/0/communities/103673859023828350714

    A LIBERDADE E A RESPONSABILIDADE, A CONSCIÊNCIA E O INSTINTO “O Espírito dorme no mineral, sonha no vegetal, agita-se no animal e desperta no homem” – Léon Denis O mineral tem grau de liberdade zero, assim como não tem responsabilidade ou consciência. Apresenta padrões de cristalização que lhe são característicos, meramente submetendo-se às leis da física, esquenta ou esfria, conforme o ambiente, nada consumindo ou produzindo. É um estágio inicial, primitivo da matéria. No vegetal já há o princípio vital. Além das leis da física, aplicam-se as leis biológicas. As plantas interagem com a natureza, mas o automatismo faz com que consuma e produza de acordo com o programado. Interage com o ambiente, há atividade, mas o grau de liberdade é virtualmente nulo. No animal, aumenta a atividade. O automatismo é substituído pelo instinto. Seus atos obedecem a diretrizes, mas começa a surgir a escolha, ainda que sem consciência. Isto ocorre de acordo com o grau de desenvolvimento das espécies, aumentando com ela. Nos animais domésticos identificamos, inclusive, afetos, claras escolhas, ainda que com pequeno grau de liberdade e, consequentemente, de responsabilidade. Minerais, vegetais e animais são regidos pelas leis naturais de Deus, e não possuem livre arbítrio, embora este aflore incipiente, rudimentar e limitado, nas espécies superiores. A espécie humana é o ápice da criação na Terra, diferenciando-se dos demais, não apenas pela complexidade do raciocínio e a presença do pensamento imaterial, mas pela consciência de si mesmo. Adquiriu, pela evolução, um grau de liberdade superior aos demais seres do planeta. Apesar de ainda possuir instintos (de preservação da espécie e do indivíduo, para exemplificar), que o fazem buscar a proteção, sobrevivência e reprodução, entre outras características, estes instintos já são submetidos à vontade. Há quem julgue os animais como mais evoluídos, ou “melhores” do que os humanos, por não cometerem erros que cometemos. Discordamos desta opinião, porque os animais, não tendo consciência ou liberdade como nós, estão isentos de méritos ou culpas. Suas atitudes foram determinadas pela superior inteligência do criador que anos, ao contrário, concedeu o poder de decisão e, com ele, os méritos e responsabilidades que dela decorrem. Seria como parabenizar ou culpar ao maquinista do trem por acertar o trajeto, sendo que este foi determinado pelos trilhos, sem que ele tivesse escolhas. Assim, superada a barreira da consciência, do livre arbítrio e da vontade, o homem começa uma nova etapa evolutiva, distinta das anteriores, tornando-se sujeito a erros pelos quais antes não era responsável. É natural, assim, que erre, como é natural a queda, por vezes seguidas, tal como a criança que ensaia seus primeiros passos. A humanidade erra, por seu baixo estágio evolutivo, assim como erra ao se cobrar demais. O processo evolutivo não dá saltos. O erro é natural e, a partir do erro, dá-se a evolução, esta sim, ocorrendo de forma diversa conforme as escolhas que fizermos. Não se espera dr nós a perfeição, mas que, diante do erro, o reconheçamos, e com ele aprendamos a agir melhor. Este é o processo natural da evolução, tanto nas áreas tecnológicas quanto nas humanísticas e éticas. Nestas últimas, em especial, temos alguns entraves à evolução. Nosso pensamento no curto prazo, nosso individualismo, nosso orgulho e a falta de percebermos a vida em como um processo, nos retardam. A evolução da humanidade é coletiva, e só progrediremos quando o mais atrasado avançar. Pensar só em si é perder a perspectiva de que cada irmão infeliz e miserável que nos cerca retrata a nossa incapacidade como ser humano. Seguir as regras e auxiliar o semelhante equivale ao “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo” que Jesus nos ensinou, já faz 2000 anos. Trecho do livro “Simplificando sua vida”. Publicado na página Tudo vem de Deus Curta nossa Página no Facebook: www.facebook.com/diantedavida Visite nosso Blog: www.diantedavidalivro.blogspot.com.br Participe do nosso Grupo: www.facebook.com/groups/diantedavida Junte-se à nossa Comunidade: https://plus.google.com/u/0/communities/103673859023828350714
    10
    0 Comentários 1 Compartilhamentos
  • 6
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
Patrocinado